Construa o seu.

Material para fazer o forno solar (um forno ou mais, quando indicado):

1 – Material de reciclagem:

– Caixas de papelão grandes
– Jornais velhos ou lã de vidro ou algodão grosso ou palha
– Sacolas plásticas (tipo supermercado) – Dois cabos de vassoura, de madeira
– Tira de borracha de câmara de ar
– Chapa de metal (folha de flandres, folha de zinco, bandeja ou tampa de ferro, etc)

2 – Material comprado:

– Cola plástica branca
– Rolo de papel de alumínio (largura maior ou menor)
– Pregos finos de 3 centímetros
– Dois metros de plástico transparente (incolor) de 0,15 ou 0,20 de espessura ou mais grosso
– 3 metros de fio de nylon médio
– Uma lata de tinta preta fosca em aerosol (de preferência do tipo para alta temperatura) – Dá para mais de um forno
– Um litro de tinta látex de parede, qualquer cor (opcional) – mais de um forno
– Uma caixa de tachinhas de sapateiro, nº 11 ou nº 2 – mais de um forno
– Uma folha de lixa para madeira nº 80 – mais de um forno
– Uma folha de lixa para metal nº 220 ou mais fina – mais de um forno
– Duas panelas de alumínio com tampa (de preferência baixas e de grande diâmetro)

3 – Ferramentas para a oficina:

– Lápis ou caneta
– Régua
– Estilete
– Tesoura grande
– Tesoura para metal em folha
– Martelo
– Serrote
– Alicate
– Furadeira com broca fina
– Pincel chato médio ou rolo pequeno

 

FORNO SOLAR DE TAMANHO TÍPICO

05

Figura 1

As caixas podem ser maiores e o espaço entre a caixa menor e a maior pode variar para um pouco mais ou um pouco menos e não precisa ser igual nos 4 lados. A caixa maior também pode ser mais funda, mas a caixa menor não deve ultrapassar 20 cm de fundura para não aumentar a sombra projetada sobre as panelas quando o sol está mais baixo no céu.

Em qualquer dimensão, o forno solar pode funcionar. Mas em geral, os fornos maiores aquecem mais por terem uma área maior de captação da luz solar. É mais conveniente também por abrigar maior número de panelas. (O limite prático para o tamanho do forno é o peso e o volume que podem causar dificuldades de locomoção).

 

PREPARANDO A CAIXA MENOR

06

Figura 2

1 – Começar colando no fundo da caixa todas as abas descoladas. Espalhar a cola com pincel ou espátula (ou um pedaço de papelão dobrado). Usar pesos – tijolos, livros, etc – até a cola fixar.

2 – Marcar a caixa nos 4 lados, por dentro e por fora, com uma linha pontilhada 20 cm acima do fundo.

3 – Cortar, com faca serrilhada ou estilete, os 4 cantos da caixa até a linha pontilhada.

4 – Depois de cortar, fazer vincos sobre as linhas pontilhas usando régua e uma colher. Isso facilita as dobraduras.

07

Figura 3 - Passar a ponta da colher fazendo pressão ao longo da linha pontilhada.

5 – Depois de criar os vincos sobre as linhas pontilhadas, dobrar para o lado de fora da caixa todas as abas, colando nos 4 lados. Depois de espalhar a cola com uma espátula, um pincel ou um pedacinho de papelão, fixar as partes a serem coladas, aplicando um peso (livros ou tijolos, por exemplo), até a cola segurar. Usar cola branca (cola plástica) ou cola caseira feita com goma ou farinha de trigo.

08

Figura 4

6 – Se ainda sobrarem pedaços das abas, criar vincos, dobrar e colar no fundo da caixa.

09

Figura 5

FORRANDO A CAIXA MENOR COM PAPEL ALUMÍNIO

10

Figura 6

1 – Aplicar cola nos 2 lados de cada canto interno da caixa. Aplicar também na base do canto.

2 – Cortar 4 faixas de papel alumínio de mais ou menos 8 cm de largura, por 25 cm de comprimento. Dobrar ao meio com uma régua e aplicar sobre cada canto com a parte fosca do alumínio em contato com a cola.

3 – Cortar no canto da faixa de alumínio. Dobrar e colar nos lados de fora da caixa.

4 – Com os 4 cantos já forrados, espalhar cola no fundo e nas paredes laterais internas da caixa colando, em seguida, o papel alumínio. Aplicar o papel alumínio com a parte mais fosca para baixo, sobre a cola, e a parte mais brilhante para cima.

5 – Passar sobre o alumínio um pano seco para reduzir as rugas e as bolhas de ar, melhorando, ao mesmo tempo, a aderência da cola.

11

Figura 7

6 – O papel alumínio deve ser dobrado sobre as bordas da caixa e colado também nas laterais externas da caixa, pelo menos até a metade.

FAZENDO A CHAPA COLETORA QUE VAI NO FUNDO DA CAIXA MENOR

No fundo da caixa menor, vai a chapa metálica pintada de preto fosco sobre a qual colocam-se as panelas. Essa chapa coletora absorve a luz do sol transformando-a em calor.

12

Figura 8

Essa chapa não deve encostar diretamente no fundo da caixa para não transmitir parte do seu calor para o fundo. Para garantir o isolamento térmico entre a chapa e o fundo, pregar embaixo, no sentido do comprimento, 3 pedaços de cabos de vassoura fixados por pregos que atravessam a chapa de cima para baixo, através de pequenos furos. No caso de uma chapa de metal mais fina, os cabos de vassoura ajudam a manter a chapa mais plana e mais resistente.

PREPARANDO A CAIXA MAIOR

13

1 – Comece colando no fundo todas as abas que estejam descoladas, use um peso (tijolos ou livros) até fixar.

2 – Marcar a caixa nos 4 lados, por dentro e por fora, com uma linha pontilhada, 28 cm acima do fundo.

3 – Cortar nos 4 cantos até a altura da linha pontilhada.

4 – Depois de fazer vincos sobre as linhas pontilhadas, usando uma régua e uma colher, dobrar as abas para dentro formando uma tampa sobre a caixa.

5 – Colocar a caixa menor, já forrada de alumínio, centralizada sobre a tampa da caixa maior.

14

5 – Colocar a caixa menor, já forrada de alumínio, centralizada sobre a tampa da caixa maior.

6 – Marcar o contorno fazendo uma linha pontilhada com lápis ou caneta. Fazer isso sobre todas as abas de papelão que cobrem a caixa.

7 – Fazer vincos sobre as linhas pontilhadas com uma régua e uma colher e em seguida dobrar para dentro da caixa cortando os excessos – as abas dobradas para dentro não devem ser maiores do que a profundidade da caixa menor, isto é 20 centímetros.

Dica: para fazer os vincos com maior facilidade, emborcar a caixa com a boca para baixo sobre uma mesa, com as abas abertas para os 4 lados.

8 – Duas das abas, em lados opostos, devem ser cortadas nas laterais para permitir o fechamento das 4 abas. Ao fechar as abas, fechar primeiro as internas e depois as cortadas.

15

9 – A caixa maior deve ainda ser pintada para tornar o papelão impermeável, aumentando assim sua vida útil. Pode-se também decorar a caixa fazendo desenhos ou colando figuras sobre as laterais pintadas. Nesse caso, é bom aplicar um verniz transparente ou uma solução fina de cola branca para impermeabilizar as figuras.

 Preparando o isolamento térmico da caixa maior

 Embora isso não seja fundamental, é desejável forrar com papel alumínio todo o interior da caixa maior. Sua função é refletir de volta para dentro da caixa algum calor que tenha atravessado o isolamento.

16

O espaço entre as caixas pode ser preenchido com uma variedade de materiais leves tais como: jornal velho rasgado em tiras, lã de vidro, palha, folhas secas, lã, algodão grosso, penas, enchimento de travesseiros, folhas de papelão, retalhos de pano, etc. Isopor e espuma de borracha não são adequados por exalarem odores desagradáveis ou gases tóxicos quando aquecidos.

No fundo da caixa maior, é mais simples fazer o isolamento com folhas de papelão de embalagens, empilhadas até a altura de 8 ou 10 centímetros.

Para o enchimento das paredes laterais, não importando o material isolante escolhido, o ideal é encher sacolas de plástico dos supermercados. Dessa maneira, é possível arrumar o enchimento das paredes verticais, sem que o material caia para o fundo da caixa.

FAZENDO A TAMPA DO FORNO SOLAR

A tampa é feita com 4 pedaços de cabos de vassoura aparafusados e pregados nos 4 cantos. O uso de cola branca além do parafuso pode tornar desnecessário o uso de pregos.

17

18Detalhe do corte a ser dado em cada ponta do pedaço mais longo dos cabos de vassoura. É aconselhável furar antes de usar pregos e parafusos. O uso de cola ou de um prego ao lado do parafuso evita que a outra peça gire livremente. Essa fixação extra é importante na hora de esticar os barbantes de apoio da sobretampa e na hora de pregar o plástico na moldura.

19

Esticar o plástico transparente por baixo da moldura de cabos de vassoura, dobrando e pregando por cima com tachinhas de sapateiro, grampos de pistola ou grampeador de papel.

FAZENDO A SOBRETAMPA DE PLÁSTICO TRANSPARENTE

Com a tampa colocada sobre as paredes da caixa grande, tomam-se as medidas para cortar o plástico da sobretampa. Usar fita métrica ou trena.

20

21

 

Usando a sobretampa

22

A sobretampa de plástico transparente deve cobrir a tampa e descer pelos 4 lados da caixa maior até sua base, onde é fixada por elástico, barbante, corda ou uma liga de borracha cortada de uma câmera de ar de pneu.

A função da sobretampa é vedar a saída de calor garantindo a mais alta temperatura no forno solar, através da manutenção de um colchão de ar entre os dois plásticos – da tampa e da sobretampa – criando assim um isolamento térmico e maior rendimento.

CORTE ESQUEMÁTICO DO FORNO SOLAR

23

1 – Sobretampa de plástico transparente descendo sobre os 4 lados da caixa grande preso perto da base com uma liga de borracha de câmera de ar ou elástico.
2 – Espaço de ar criando isolamento térmico entre a tampa, pregada embaixo da moldura de cabos de vassoura e a sobretampa esticada por cima.
3 – Tampa de plástico transparente esticado por baixo de uma moldura de cabos de vassouras.
4 – Panela preta com tampa de encaixe para reduzir a perda de vapor.
5 – Cabos de vassoura criando apoios para a chapa coletora, isolando-a do contato com o fundo da caixa.
6 – Chapa preta de metal – coletora de luz que transforma a luz do sol em calor.
7 – Sacos plásticos contendo tiras de papel jornal amassadas, criando um isolamento térmico entre as paredes da caixa menor e as da caixa maior.
8 – Pedaços de papelão empilhados no fundo da caixa maior criando o isolamento térmico na base do forno.
9 – Liga de borracha de câmera de ar prendendo a sobretampa de plástico transparente.

Anúncios

33 Respostas para “Construa o seu.

  1. Anaxagoras

    gostei muito e queria saber mais sobre o forno e outras fontes de energia alternativa.

  2. Adolfo

    Achei o programa show
    Curto muito quando a mídia brasileira se preucupa em divulgar e mostrar soluções que dimunuem os impactos ambientais que o ser humano provoca.
    Espero que todos os que viram a reportagem construa um forno solar para diminuir o uso do gás de tradicional cozinha , pois ele é derivado do petróleo, estou mandando o vídeo para todos os meus amigos do orkut.
    OBS: não se esqueça de agradecer a DEUS nas suas orações, pois se ele não falasse acha luz não deria como cozinhar no forno solar.

  3. carlos

    adorei vou fazer um, vi mais simples mas este me convenceu que pode funcionar, não vi o programa na tv mas, pelo projeto deve funcionar muito bem. legal

  4. Lúcio Galvão

    Excelente iniciativa de blog.
    É MEU AMIGO ZÉ, o trabalho de divulgação do forno solar não é fácil mas é prazeroso e satisfatório a quem se integra em assistir àqueles que mais precisam. Parabéns a VOCÊ e seus colaboradores.
    Estamos nessa batalha dentro da caatinga na região dos INHAMUNS-Ce.
    Peço a todos que acessarem as informações deste blog DIVULGEM. Contem conosco CECITEC-UECE-TAUÁ/Ce.

    • Pois é, amigo Lúcio! O blog não passa vergonha pois está bem feito e abre um canal imporante não só de divulgação mas também de diálogo, como é próprio dos blogs! Vamos divulgar! Abraço do Zé

  5. Magno Braga

    Prezado José Albano, parabéns pela iniciativa de divulgação. Já estou preparando o material para construção do forno. Idéias como essas merecem ser divulgadas. Saudações Daimistas. Magno Braga – Icapuí – CE.

  6. jadinha50

    eu fiz o fogao solar como manda segui direitinho so que nao deu certo porque?

    • É difícil diagnosticar o problema sem ver o equipamento. Em geral, não ocorrem erros nas caixas. O forno deve funcionar se a tampa, a parte mais crítica na retenção do calor, seja feita e seja usada de forma correta. É fundamental que ela seja colocada sobre as paredes da caixa de modo “invertido”, isto é, com o plástico virado pra baixo e a moldura de madeira pra cima. Só assim será formada a camada de ar aprisionada entre a tampa e a sobretampa de plástico que envolve toda a caixa, Esse espaço de ar, (da espessura da madeira que forma a tampa), é que garante o efeito estufa que permite que a luz do sol entre dentro da caixa e que o resultante calor interno não saia!

  7. Camila Brito

    Olá seu José!
    Meu nome é camila, como pode ver, e tenho 16 anos.
    Vou fazer seu forno para minha feira de ciências na escola. espero que funcione!
    O problema é que sou gaúcha, e nessa época o difícil vai ser achar um pouquinho de sol. Mas vou correr este risco. A ideia é divilgar essa fonte sustentavel e gratuita (que se esconde no meu inverno), e uma idéia que é tão legal como essa. No verão vai ser otimo.

    Abraço TCHÊ!

    • Se for construido conforme os planos, vai funcionar, sim. Camila! Mesmo no frio, havendo sol e dando bastante tempo, funciona sim. Que tal me dar notícia do seu experimento? Abraço do José Albano

  8. Regis Humberto

    Parabens ao Prof Lucio e seus colaboradores, pois trata-se de uma iniciativa maravilhosa! Pois só quem conhece a realidade desta região do nosso país, sabe da importância de projetos como este!

  9. Pingback: FORNO SOLAR |

  10. hamlton fernandes dos santos

    esquecemos de que o vapor tem de sair pois senao a caixa ficara cheia de goticulas e trasnlucida nao deixando o sol penetrar obrigado.

    • Olá Hamilton: Usando tampas de encaixe para cobrir as panelas, esse problema não ocorre: o vapor se condensa em gotículas na parte interna da tampa e essas escorregam no declive caindo de volta sobre o alimento dentro da panela, evitando o ressecamento. O forno pode ficar hermeticamente fechado sem criar gotículas no interior da caixa.

  11. hamlton fernandes dos santos

    recebi sua resposta e matei minha duvida , agora e so esperar ter sol em belo horizonte pois esta nublado e vela funcionar, se tiver mais ideias mirabolante favor me enviar.

  12. Maite

    olá, estou fazendo o forno para um trabalho na escola e gostaria muito de saber se posso substituir a tampa de plastico por um vidro ? muito obrigada

  13. muito irado…, fiz este curso e não me arrependo… Fiz com a turma do SESC. Na minha fiz umas modificações na tampa que ficou massa.

  14. Ananda Aguilar

    GRACIAS Zé Albano !
    Em nome da organização do Encontro de La Nación Pachamama que ocorreu em Beberibe-CE de 14 a 17 de Junho de 2012, agradecemos imensamente a ti amado.
    O curso do forno solar onde repassou com toda destreza e simplicidade, este conhecimento e plantou em nós uma sementinha de “SIM SE PUEDE”.
    Estamos a ensaiar a cosntrução do nosso forno aqui no Aschran Aoniken em Gravataí-RS.

    • Olá Ananda:
      Que bom que vocês conseguiram reter o entusiasmo! Tomara que o forno se materialize! Tudo o que precisam saber está nesse blog mas pode ser bom explorar outros links, sobretudo o do site americano “Solarcooking Archive” que oferece páginas em poeruguês. Boa sorte! Abraço do José Albano

  15. Primeiramente, obrigada por compartilhar essas informações. Tenho duas dúvidas:
    1 – É possível fazer o forno em madeira (uma loja de material de construção joga fora muita madeira diariamente) ao invés de usar caixas de papelão?
    2 – Assim como a Maite acima, gostaria de saber se é possível fazer uma tampa de vidro, quais seriam as adaptações necessárias, pontos positivos e negativos.

    Grato desde já,
    =D

    • Sim, é possível fazer de madeira. Vai dar mais trabalho e vai ficar pesado porém vai também durar mais.
      Quanto à tampa de vidro, eu uso, atualmente, uma combinação de vidro e plástico. A tampa é um retângulo de vidro colocado diretamente sobre a caixa. Em cima do vidro vai a moldura de cabos de vassoura, sem nenhum plástico pregado nela mas com os fios cruzados em cima.
      Sobre esse conjunto de vidro e moldura de cabos de vassoura vai o grande retângulo de plástico transparente que forma a sobretampa. É esse plástico que garante a eliminação dos vazamentos de ar quente que ocorrem pelas brechas entre o vidro e a caixa, providenciando, ao mesmo tempo, o isolamento térmico resultante da camada de ar que fica aprisionada entre o vidro e o plástico. Eu uso vidros temperados para resistirem ao calor que são usados como tampa dos fogões a gas, conseguidos nas empresas de reciclagem do lixo que vendem as partes dos fogões velhos, desmontados. Esse arranjo tem provado ser o ideal pois a tampa com o plástico pregado na moldura de madeira fica ressequido e se rompe com o tempo de uso o que não acontece com o vidro temperado. Esse sistema é mais fácil de entender nas fotos recentes que vou te enviar por e-mail e depois postar no blog também. Qualquer outra dúvida, volte a me contatar. Abraço, José Albano

  16. adoramos esse forno pois com ele ganhamos a feira de ciencias e passamos para a feira regional para concorrer a um tablet e uma viagem a porto alegre obrigada a quem teve a grande ideia de postar e construir esse forno solar atenciosamente:agatha e bianca

    • Olá Agatha e Bianca: Que bom que esse projeto está sendo útil pra vocês! Agora resta integrar o forno solar na vida de vocês. Estamos usando esse equipamento desde 2004 na nossa comunidade e não imaginamos a vida sem ele. Hoje mesmo vou fazer um bolo de milho! Estarei sempre pronto a tirar dúvidas que possam surgir sobre a construção e o uso do forno solar. Boa sorte pra vocês! Abraço, José Albano

  17. Ricardo

    Estou muito motivado a construir um forno como esse. Ouvi a reportagem na Rádio CBN e achei maravilhosa ideia. Estou providenciando todo o material para confecciona-lo.

    • Olá Ricardo! Usando esse modelo de forno solar quase todos os dias desde 2004, posso testemunhar que esse equipamento mudou a minha vida – e a da comunidade onde vivo – pra melhor! Estou pronto a tirar suas dúvidas e ajudar, mesmo de longe, para que você possa ter o mesmo sucesso que eu tenho tido todas esses anos. Abraço, José Albano

  18. José Airton Xavier Sales

    Isso é muito legal! É preciso que as pessoas se conscientizem e poluam menos nosso planeta, aproveitando recursos naturais que podem s er usados nos quatros cantos de nosso planeta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s